Protesto atrás de protesto: Os melhores momentos do SAG Awards!

Na noite de ontem (29), aconteceu o SAG Awards, uma premiação de séries e filmes, e tivemos muitas surpresas por lá.

Além dos vencedores das categorias, as grandes surpresas da noite ficaram com os muitos protestos e discursos contra Donald Trump que marcaram a edição de 2017 da premiação.

No total, 13 artistas usaram seus discursos da premiação para se mostrar contra a postura do novo presidente dos Estados Unidos. Com tanta coisa importante acontecendo, nós selecionamos os melhores pra vocês. Confira abaixo, com a lista de vencedores:

MELHOR ELENCO EM FILME

Captain Fantastic
Fences
Hidden Figures
Manchester by the Sea
Moonlight

MELHOR ATOR

Casey Affleck por “Manchester By the Sea”
Andrew Garfield por “Hacksaw Ridge”
Ryan Gosling por “La La Land”
Viggo Mortensen por “Captain Fantastic”
Denzel Washington por “Fences”

MELHOR ATRIZ

Amy Adams por “Arrival”
Emily Blunt por “The Girl on the Train”
Natalie Portman por “Jackie”
Emma Stone por “La La Land”
Meryl Streep por “Florence Foster Jenkins”

MELHOR PERFORMANCE POR ATOR COADJUVANTE

Mahershala Ali por “Moonlight”
Jeff Bridges por “Hell or High Water”
Hugh Grant por “Florence Foster Jenkins”
Lucas Hedges por “Manchester by the Sea”
Dev Patel por “Lion”

MELHOR PERFORMANCE POR ATRIZ COADJUVANTE

Viola Davis por “Fences”
Naomie Harris por “Moonlight”
Nicole Kidman por “Lion”
Octavia Spencer por “Hidden Figures”
Michelle Williams por “Manchester by the Sea”

MELHOR ELENCO EM SÉRIE DRAMÁTICA

“The Crown”
“Downton Abbey”
“Game of Thrones”
“Stranger Things”
“Westworld”

MELHOR ELENCO EM SÉRIE DE COMÉDIA

“The Big Bang Theory”
“Blackish”
“Modern Family”
“Orange is the New Black”
“Veep”

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMÁTICA

Millie Bobby Brown por “Stranger Things”
Claire Foy por “The Crown”
Thandie Newton por “Westworld”
Winona Ryder por “Stranger Things”
Robin Wright por “House of Cards”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMÁTICA

Sterling K. Brown por “This Is Us”
Peter Dinklage por “Game of Thrones”
John Lithgow por “The Crown”
Rami Malek por “Mr. Robot”
Kevin Spacey por “House of Cards”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA

Anthony Anderson por “Black-ish”
Titus Burgess por “Unbreakable Kimmy Schmidt”
Ty Burrell por “Modern Family”
William H. Macy por “Shameless”
Jeffrey Tambor por “Transparent”

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA

Uzo Aduba por “Orange is the New Black”
Jane Fonda por “Grace and Frankie”
Ellie Kemper por “Unbreakable Kimmy Schmidt”
Julia Louis-Dreyfus por “Veep”
Lily Tomlin por “Grace and Frankie”

MELHOR ATOR EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Riz Ahmed por “The Night Of”
Sterling K. Brown por “People vs O.J. Simpson: American Crime Story”
Bryan Cranston por “All the Way”
John Turturro por “The Night Of”
Courtney B. Vance por “People vs O.J. Simpson: American Crime Story”

MELHOR ATRIZ EM MINISSÉRIE OU FILME PARA TV

Bryce Dallas Howard por “Black Mirror”
Felicity Huffman por “American Crime”
Audra MacDonald por “Lady Day at Emerson’s Bar & Grill”
Sarah Paulson por “The People vs O.J. Simpson: American Crime Story”
Kerry Washington por “Confirmation”

A NOITE DOS PROTESTOS

Tudo começou no tapete vermelho do evento, quando Simon Helberg, o Howard de #TheBigBangTheory, e sua esposa, a também atriz Jocelyn Towne, protestaram na entrada a favor dos refugiados!

Logo em seguida, Ashton Kutcher abriu a 23ª edição do SAG Awards apoiando os imigrantes impedidos de entrar no país.

“Boa noite a meus companheiros do sindicato, a todos em casa e a todos que estão em aeroportos e pertencem ao meu país. Vocês são parte do nosso tecido, e nós amamos vocês.”

Depois veio a vez de Julia Louis-Dreyfus, da série “Veep” — que levou pra casa o prêmio de Melhor Atriz em Série Cômica.

“Eu gostaria que vocês soubessem que eu sou a filha de um imigrante. Meu pai sofreu perseguição religiosa na França ocupada por nazistas… E eu amo este país. Esta proibição contra imigrantes é uma mancha, e é antiamericana”

A onda continuou e foi ainda mais forte depois da vitória de “Orange Is The New Black” como Melhor Elenco de Série Cômica. Taylor Schilling, que interpreta a protagonista Piper, pegou o microfone e exaltou a diversidade dos seus companheiros.

“Estamos aqui representando um grupo diverso de pessoas, representando gerações de famílias que buscaram uma vida melhor aqui, de lugares como Nigéria, República Dominicana, Porto Rico, Colômbia, Irlanda… E sabemos que vai depender de nós, e provavelmente de vocês, também, continuar contando histórias que mostrem que nossa união é mais forte do que aqueles que buscam nos dividir”.

Então os protagonistas de “Capitão Fantástico”, Viggo Mortensen e Kathryn Hahn, subiram ao palco para apresentar um prêmio, mas aproveitaram do momento: Viggo ergueu a mão pro alto e gritou “Poder para as pessoas!”, uma referência ao que podemos ver no seu filme.

O protesto serviu como uma luva para Mahershala Ali, muçulmano há 17 anos e eleito Melhor Ator Coadjuvante por “Moonlight”, fazer um dos discursos mais poderosos da noite.

“Nós ficamos presos nas minúcias, nos detalhes que nos tornam diferentes. Acho que existem duas maneiras de olhar para isso. Existe a oportunidade de ver a textura daquela pessoa, as características que a fazem única. E existem também a possibilidade de entrar em guerra por conta disso. Minha mãe é pastora.

Eu sou muçulmano. Ela não deu cambalhotas quando eu contei que me converti, 17 anos atrás. Mas eu digo a vocês agora: nós deixamos isso de lado. E eu sou capaz de vê-la, e ela é capaz de me ver. Nós nos amamos, o amor cresceu”.

Enquanto Sarah Paulson convocou as pessoas a doarem dinheiro para a União Americana pelas Liberdades Civis “para proteger os direitos e a liberdade de pessoas em todo o país”, uma Emma Stone pra lá de emocionada com a vitória do prêmio de Melhor Atriz por “La la land: Cantando Estações” deixou seu cartão de visita nos protestos.

“Estamos em um momento realmente complicado no nosso país e coisas são muito imperdoáveis, assustadoras e demandam ações. Eu sou muito grata por fazer parte de um grupo de pessoas que se importa e que quer refletir sobre a sociedade.”

Outro momento de destaque sem dúvidas ficou com a vitória “Stranger things” como Melhor Elenco de Série Dramática, que foi o melhor elenco até na comemoração. Mas o que mais chamou atenção na cena foi quando David Harbour, o delegado Jim Hopper da série, fez um discurso poderoso, acompanhado por reações bizarras de Winona Ryder.

“Esse prêmio vindo de vocês, que levam seu ofício a sério, e sinceramente acreditam, como eu, que grandes atuações podem mudar o mundo, é um apelo para nossos colegas irem mais fundo e, através da arte, batalhar contra o medo, o egocentrismo e o narcisismo. Cultivar com o nosso ofício uma sociedade mais empática e compreensiva.

Estamos todos juntos nesta jornada horrível, dolorosa, alegre, emocionante e misteriosa que é estar vivo. Como mostramos na contínua narrativa de ‘Stranger things’, nós vamos repelir os bullies, vamos abrigar os esquisitos e os marginalizados, aqueles que não têm casa, vamos superar as mentiras, vamos caçar monstros, e quando estivermos perdidos em meio à hipocrisia e à violência casual de certos indivíduos e instituições, nós vamos, assim como o delegado Jim Hopper, socar a cara de algumas pessoas que tentarem destruir os mais fracos, os desprotegidos.

E nós faremos tudo isso com alma, com coração e com alegria. Agradecemos por esta responsabilidade”.

Claro, pra fechar com chave de ouro a onda de discursos e protestos, temos as vencedoras da categoria mais importante da premiação: “Estrelas Além do Tempo” saiu como vencedor em Melhor Elenco e a protagonista Taraji P. Henson exaltou a principal mensagem do longa inspirado no livro de Margot Lee Shetterly.

“O filme é uma história sobre união. A história é sobre o que acontece quando deixamos nossas diferenças de lado. E quando nos unimos como raça humana, nós vencemos. O amor vence. Sempre.”

 

Comente usando o Facebook!