Variety afirma que os filmes de “Resident Evil” são melhores do que os jogos e revela o motivo

Um dia após ter elegido “The Walking Dead” a pior série de 2016, a revista norte-americana Variety publicou um artigo que afirma que os filmes de “Resident Evil” são melhores do que os próprios jogos.

Para aqueles que não sabem, tudo começou lá atrás em 2002, quando Paul W.S. Anderson decidiu unir seus dois grandes amores: o cinema e o jogo de zumbi. O artigo começa com uma afirmação: “vários trabalhos fracassados surgiram desde a década de 90”, mas classificam que o trabalho de Paul a partir dos anos 2000 é surpreendente.

“Ele veio de um grande jogo”, diz Clint Culpepper, o presidente da Screen Gems, a produtora dos longas da Sony Pictures. “Nós nos envolvemos logo de cara com o primeiro filme, que já tinha vendido números fenomenais. Isso foi bem antes das pessoas perceberem como os jogos se tornariam maiores.”

Para evitar os problemas que poderiam aparecer num futuro não muito distante, a Screen Gems arregaçou as mangas e fez bem a lição de casa. “Nossa equipe nos disse o que os jogadores queriam. Nós estudamos como eles queriam que o filme fosse, como eles queriam que isso se desenvolvesse (crescesse). Os jogadores esperam muito das coisas, e eles amaram a ideia de colocar ‘Resident Evil’ no cinema”, disse Clint.

O presidente ainda dá os devidos créditos ao autor e diretor dos filmes, Paul: “Ele simplesmente ama o que faz. Ele é o padrinho de toda a franquia, ao lado do produtor Jeremy Bolt (que apareceu como zumbi no primeiro filme).”

Jamie Russell, autor de “Generation Xbox: How Videogames Invaded Hollywood“, concorda com tudo e ainda acrescenta: “Ele (Anderson) é um das primeiras pessoas na indústria a perceber que jogos, podem sim, se tornarem filmes. Ele é um garoto Atari, que cresceu em meio a Space Invaders, Asteroids e Pac-Man, do mesmo jeito que a última geração cresceu com Superman e Dick Tracy.”

Para Russell, Anderson fez bem ter feito filmes que atendem um público maior que apenas os jogadores: “Ele não segue a linha dos jogos. Na verdade, os filmes se tornaram tão importantes quanto os filmes.”

Para se ter uma ideia, filmes que partiram de jogos como “Doom” e “Hitman” mostram homens nos papéis centrais, enquanto “Resident Evil” tomou outra direção.

“Nossa equipe nos mostrou que os caras gostariam de ver uma mulher em ação. E Milla Jovovich é uma expert em relação isso”, afirmou Culpepper. “Eu não sei se todo mundo percebeu o quanto Milla era uma atleta, ou tão boa fazendo ação como ela era, até as verem-a dando alguns mortais. Desse ponto em diante a saga cresceu tão rápido quanto sua habilidade de interpretar a personagem Alice“, completou.

Gladys L. Knight, autora do livro “Heróis Femininas em Ação: Um Guia Para Às Mulheres em Quadrinhos, VideoGames, Filmes e Televisão”, vê Alice como o elemento mais importante da franquia. “Alice faz parte de uma porcentagem significativa dos novos heróis de ação feminina que surgiram no final do século 21. Ela e seus colegas representam uma grande mudança nos papéis das mulheres no gênero ação.”

O filme “Tomb Raider” foi usado como exemplo. Nele, vimos Angelina Jolie na pele da aventureira Lara Croft, que sempre aparenta ser mais fortes que seus próprios amigos homens. “Apesar de Alice também ser forte e durona, ela sempre trabalha ao lado de seus amigos”, encerra Knight.

A diversidade é uma das áreas que Culpepper acredita que o filme também acerta: “Na franquia temos um mix de etnias, incluindo Michelle Rodriguez, Oded Fehr e até Bingbing Li.” Para ele, o que faz com que as pessoas ainda mantenham o interesse em “Resident” é a fascinação que os humanos possuem em relação aos mortos-vivos.

Ele credita a série “The Walking Dead“, que tem trazido ótimos índices de audiência para à TV americana. Questiado sobre a possibilidade de haver uma série sobre o filme, o presidente da Screen Gems anima os fãs: “Nosso departamento está torcendo em relação a isso. Eles querem muito.”

Enquanto isso não acontece, foi anunciado que a Sony juntamente a Screen Gems lançarão o filme para o jogo “The Last Of Us“, considerado o melhor game de 2013 em relação a survival.

“Será grande, um grande filme. Estamos procurando várias e várias referências de jogos para criá-lo”, disse Culpepper.

Comente usando o Facebook!